fbpx

Branding Emocional – Como estabelecer relacões com clientes

Os dias em que as pessoas compravam exclusivamente determinada marca são cada vez mais raros. Estamos num era em que a lealdade para com uma marca tem como rivais os influenciadores sociais e as propostas de celebridades. Consequentemente é aqui que surge a importância do branding emocional.

O que é o branding emocional?

Actualmente as pessoas querem ser ouvidas e falar sobre os seus sentimentos. Estão fartas de que lhes sejam “impingidas” compras. Por essa razão, as marcas tem de entender que é mais eficiente relacionar-se com uma audiência do que enviar emails para conseguir angariar clientes.

Então o que é o branding emocional? Este consiste na construção de uma voz da marca que apela directamente para o estado emocional, necessidades e aspirações do cliente. Por outras palavras, as marcas , nas suas mensagens, devem apelar ao coração dos clientes (emoções) ao invés das razões lógicas. Por exemplo,  ao vender um automóvel não diga que aquele é o melhor modelo dentro de determinado preço. Exalte antes aspectos como o facto de ser económico e de como ao comprá-lo o cliente irá fazer parte de um grupo de preservação do ambiente dadas as características eco friendly do mesmo.

Como funciona o branding emocional?

Embora muitas pessoas considerem que as suas escolhas se baseiam em aspectos lógicos, a verdade é que muitas vezes, as suas escolhas, têm influência emocional.

Um exemplo fácil de entender é por exemplo o caso da Starbucks. Mesmo tendo máquinas de café em casa muitas pessoas optam por sair e fazer quilômetros só para comprar um café na famosa cadeia de cafeterias. isto para não falar de que gastam à volta de 5€ por um café quando o poderiam pagar apenas 0,80€ no café mesmo ao lado de casa. A razão disto acontecer é porque a Starbucks conseguiu introduzir na mente das pessoas a ideia de que é um produto de luxo, que faz parte de um determinado estilo de vida e que por isso não pode ser equiparada às restantes marcas no mesmo sector.

Para ser uma marca emocional as emoções transmitidas nos conteúdos têm de ser consistentes e autênticos. Ter um slogan que diga que a sua marca é amiga do ambiente e depois todas as suas publicações nas redes sociais serem apenas centradas no como o seu produto é melhor que a concorrência, não funciona. Toda a estratégia de marketing deve estar centrada e refletir as emoções a que a empresa está ligada. Se é amiga do ambiente porque não ter produtos com nomes associados a essa temática.

Branding emocional utilizado em empresas pequenas?
  • Determine o estado emocional a que a sua empresa poderá apelar

    É importante que antes de estabelecer o branding da sua marca determine a que emoções quer estar associado. A Coca-Cola, por exemplo, está associada à partilha de bons momentos. Se pensar nas suas campanhas de publicidade verá que todos os esforços de marketing da marca relacionam-se com o aproximar as pessoas com os seus produtos.

  • Implemente o posicionamento emocional na estratégia da marca

    Este posicionamento têm de estar visível na estratégia da marca. Desde o conteúdo do website ao serviço de apoio ao cliente, tudo deverá ser consistente.

  • Converter a audiência de simpatizantes emocionais a consumidores leais

    Obviamente que as empresas precisam de vender para fazer dinheiro. Se a sua comunicação não for feita exclusivamente com o objectivo de vender e ao invés tiver um equilíbrio entre a venda e o posicionamento emocional, certamente conseguirá alcançar a venda.

Á medida que as redes sociais vão ganhando terreno bem como o aumento do número de clientes que as utiliza para se relacionar com as empresas, uma coisa tornou-se certa. A abordagem emocional é, acima de tudo, a mais bem sucedida.

 

 

Fontes: Emotional Branding: How to Connect with People Instead of Selling to Them
Recomendar
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIN
Partilhar
Deixar um comentário